terça-feira, 9 de maio de 2017

Dicionário de educação física é lançado em Libras

Descrição para cegos: a imagem demonstra o professor Keegan Bezerra e quatro alunos acenando para a fotografia. A expressão de todos é de alegria. A fotografia foi tirada em sala de aula.


    O professor de Educação Física, Keegan Bezerra, da Escola Estadual Augusto Carneiro dos Santos, localizada no Estado do Amazonas, construiu um dicionário em Libras para auxiliar os alunos surdos no desenvolvimento do aprendizado e conhecimento acerca da disciplina. O dicionário é produto de um projeto que recebeu aporte do Governo do Estado por meio do Programa Ciência na Escola (PCE), da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Amazonas (Fapeam). (Gustavo Freire).

sexta-feira, 21 de abril de 2017

Dia do teatro acessível

Descrição para cegos: a imagem mostra um palco de teatro com cortinas abertas. No centro está a marca do projeto: uma letra “A” maiúscula em forma de um boneco de braços abertos e as frases “Teatro Acessível - Arte, Lazer e Direitos” e “19 de setembro dia nacional teatro acessível (PL6149/13)”
Por Isy Veras

A partir deste ano, no dia 19 de setembro será comemorado não só o Dia do Teatro, mas também o Dia Nacional do Teatro Acessível. Essa efeméride foi transformada em lei no dia 4 de março, com a aprovação pela Câmara do Deputados do projeto de lei proposto por Jean Wyllys (PSOL-RJ), Mara Gabrilli (PSDB-SP), Rosinha de Adefal (PT do B-AL) e Jandiri Feghali(PC do B-RJ). 
A iniciativa da lei partiu da organização não-governamental Escola de Gente, que desde 2011 encabeça a campanha “Teatro Acessível - Arte, Prazer e Direitos”, que opera levando cultura inclusiva de graça a várias regiões do Brasil, com apoio da Lei Rouanet. 

terça-feira, 18 de abril de 2017

Projeto visa inclusão digital

Descrição para cegos: a imagem tem plano de fundo degradê, que vai do escuro para o claro, da direita para esquerda. Na parte superior do lado direito hastag #PraCegoVer e, logo abaixo, o desenho de um óculos, com o lado esquerdo escuro e o lado direto claro com um globo terrestre dentro. Na parte de baixo, a frase “O verdadeiro cego é aquele que não enxerga o próximo!”.

                                                                                        Por Gabrielly Alencar

As pessoas que têm deficiência visual também utilizam as redes sociais, apesar de boa parte da população ignorar esse fato. Contudo, o máximo que conseguem obter de informação, é o que está escrito, ou melhor, conseguiam. Isso vem mudando desde de 2012, quando a professora baiana Patrícia Braille criou um projeto de autodescrição das imagens, sejam essas de empresas, marcas ou até as que compartilhamos diariamente. O mais interessante é que qualquer pessoa pode fazer.

quarta-feira, 22 de março de 2017

Dia Mundial da Síndrome de Down

Descrição para cegos: símbolo do Dia internacional da Síndrome de Down. Em fundo branco tem um coração do lado esquerdo da ilustração, nas cores vermelho (lado esquerdo) e azul (direito), com o mapa mundi dentro. A metade azul une-se a um traço azul horizontal e forma-se o algarismo 2. Ao lado deste há um traço denso que ao mesmo tempo que separa o coração do letreiro, é também o algarismo 1, surgindo então o 21. Em seguida tem o texto: “Dia Internacional da Síndrome de Down”

Por Gabrielly Alencar

O dia 21 de março foi escolhido pela Organização das Nações Unidas como data oficial para celebração do Dia Mundial da Síndrome de Down. A data faz referência ao cromossomo 21, que deveria conter um par, apresentando-se nos portadores de Down com mais um cromossomo (trissomia).
A comemoração foi instituída em 2006 e amplamente divulgada, com intuito de conscientizar a população mundial para a importância do tema e principalmente acabar com o preconceito, que é gerado pela falta de conhecimento sobre a síndrome. Ou seja, acabar com a rotulação dos seus portadores.

segunda-feira, 20 de março de 2017

Reforma na previdência prevê redução no BPC

Descrição para cegos: a imagem mostra o desenho de uma cena familiar onde se vê um casal idoso sentado em um sofá com quatro crianças ao redor, sendo uma delas cadeirante. Acima da cena está escrito: BPC - Benefício de Prestação Continuada da Assistência Social.
Por Isy Veras

O Congresso Nacional está para aprovar areforma da Previdência Social, ato que pode significar a redução do Benefício de Prestação Continuada (BPC), uma prerrogativa que dá direito a assistência social e é assegurada por lei. Atualmente o benefício é concedido a cerca de 4,4 milhões de brasileiros, sendo eles idosos (com idade acima de 65 anos) e deficientes de baixa renda que não têm estrutura para trabalhar e se manter economicamente. 

segunda-feira, 6 de março de 2017

Campanha Doe Sua Voz

Descrição para cegos: a imagem mostra um rapaz olhando 
diretamente para a câmera, e a legenda: “Você pode doar a sua?”

Por Isy Veras

       A perda parcial ou total da audição, é um problema que dificulta bastante o processo de comunicação social. Pensando nessa falha de interação entre os deficientes auditivos e a população em geral, a Propeg (uma agência baiana de comunicação) lançou uma campanha, levando a alcance público o trabalho da Associação de Pais a Amigos de Deficientes Auditivos do Estado da Bahia (Apada/BA), intitulada “Doe Sua Voz”.
         A campanha foi desenvolvida em uma plataforma online que permite que pessoas acessem o conteúdo e possam “doar” suas vozes em gravação.
        O vídeo de divulgação do projeto mostra um rapaz, interagindo através de legendas, para pedir a doação da voz do internauta para que ele possa falar algo.
        A mecânica do projeto é simples: é necessário apenas um browser atualizado e disponibilidade de recurso de áudio, depois sua voz pode ser gravada seguindo as legendas em vídeo e também compartilhada em redes sociais.
      

quinta-feira, 2 de março de 2017

Dia Mundial da Doença Rara

Descrição para cegos: cartaz do Dia Mundial das Doenças Raras, que é ilustrado à esquerda por três mãos colorias superpostas, formando uma flor, tendo, no centro, um boneco branco como se fosse o pistilo. À direita está o letreiro alusivo à data e, embaixo, o slogan “Juntos cuidaremos melhor”.
Por Gabrielly Alencar

No dia 29 de fevereiro foi celebrado o dia Mundial da Doença Rara, data que é normalmente comemorada no dia 28, já que a presença do dia 29 só ocorre de quatro em quatro anos, quando o ano é bissexto. A data oficial foi escolhida para dia “raro”, assim como a doença.
De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), qualquer doença que exista numa escala menor que um em cada 1.650 nascimentos, é considerada rara. Contam-se cerca de 8 mil doenças raras no mundo e avalia-se que entre 6% a 8% da população mundial conviva com esse tipo de doença.
Três podem ser as causas das doenças: genética (representa 80%), ambientais (causadas pelo uso de medicamentos) e infecções. Em alguns dos casos, a cura não existe, mas existem tratamentos que melhoram a vida dos pacientes.
Pela falta de conhecimento, de investimentos na área de saúde para o estudo dessas e, consequentemente, a falta de tratamento adequado, as pessoas que convivem com esses tipos de doenças, acabam enfrentando demasiado preconceito.
Sendo assim, nesse dia, procura-se conscientizar a população, os médicos e os órgãos de saúde, para os tipos de doenças raras que existem e o quão é difícil à vida das pessoas sofrem delas sem ter sequer o conhecimento da tal.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Verônica González Donet, âncora de TV e cega

Descrição para cegos: foto da jornalista Verônica Donet na 
bancada do telejornal. Ela sorri para a câmera enquanto, 
com as mãos, lê o texto  em Braille. Atrás dela vê-se o 
cenário, com  imagens de uma cidade. 
Se você gosta de conhecer exemplos de pessoas que superam expectativas e ultrapassam barreiras mostrando sua capacidade profissional acima de qualquer deficiência, veja a história de Verônica González, jornalista da televisão estatal da Argentina. Ganhadora de prêmios na área de comunicação, participa de eventos na condição de palestrante, inclusive do Fórum Social sobre Deficiência e Direitos Humanos, em Genebra, na Suíça. Além disso, realizou, através da Fundação Telefônica, miniprogramas de rádio com o objetivo de aumentar a conscientização pública sobre a forma como a mídia mostra as pessoas com deficiência. Saiba mais. (William Veras)

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

IV Colóquio de Direitos da Pessoa com Deficiência, com Ana Flávia Coutinho

Descrição para cegos: foto da professora
Ana Flávia durante o colóquio. Em primeiro
plano, abaixo da foto, vê-se a câmera, em
cujo visor aparece a imagem que está sendo
captada.

A professora Ana Flávia Coutinho foi a convidada da turma de Jornalismo, Cidadania e Direitos Humanos da Universidade Federal da Paraíba para o IV Colóquio de Direitos da Pessoa com Deficiência, ocorrido no dia 27 de outubro de 2016. Ela é doutorada em Psicologia Social pela UFPB, mestra em Tecnologia das Engenharias pela Universidade Trás-os-Montes e Alto Douro, em Portugal, graduada em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal da Paraíba e em Processamento de Dados pela Asper. Tem experiência na área de Engenharia de Reabilitação, atuando principalmente nos temas tecnologias assistivas, acessibilidade, educação especial e autismo. O colóquio foi organizado por Jéssica Xavier, Rebeka Akber, Samuel Amaral e William Veras.





CONFIRA O COLÓQUIO NA INTEGRA:

1 – Relações sociais e deficiência
- A professora explica a evolução histórica da relação entre a sociedade e as pessoas com deficiência, e as fases da exclusão, segregação, integração e inclusão. 


quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Comunicação para pessoas com surdo-cegueira

Descrição para cegos: imagem obtida do vídeo mostra, da esquerda para a direita, a intérprete, garoto com surdo-cegueira e pesquisador. A intérprete está falando enquanto segura, com a mão esquerda, a direita do garoto, observados pelo pesquisador. Eles têm diante de si uma mesa sobre a qual se vê uma luva conectada a fios. Atrás deles há uma estante com livros. Em primeiro plano se vê a legenda com um trecho da fala da intérprete - "sempre esse problema de como se comunicar" - e um quadro sobreposto onde se vê a intérprete de Libras.

Se para uma pessoa surda as dificuldades de comunicação já são grandes, imagine para quem tem surdo-cegueira? A TV Brasil exibiu dentro do programa Especial, que é apresentado por uma cadeirante e específico para assuntos na área de deficiência, uma reportagem a respeito das tecnologias que estão sendo desenvolvidas para melhor comunicação de pessoas que além de não escutar, também não enxergam. Confira a reportagem completa clicando no vídeo a seguir. (William Veras)


sábado, 3 de dezembro de 2016

Alter: coloque-se no lugar do outro

Descrição para cegos: Na imagem há um bloco de pedra retangular com olhos e nariz  no centro de uma floresta. Traz também a palavra alter e embaixo dela a palavra jogar que está dentro de um retângulo.


Por Jéssica Xavier


         Alter é um jogo que permite que você experimente virtualmente como é ser uma pessoa com deficiência. O jogo foi criado pela Racional Games com parceria da Secretaria Especial dos Direitos da Pessoa com Deficiência e o Conselho Municipal da cidade de Curitiba.
Nele você brinca com um personagem com vários tipos de deficiências (física, visual, auditiva, intelectual e autismo) que vão sendo alteradas em cada fase. O nome Alter, que vem do latim “outro”, representa bem a ideia do jogo, de se colocar no lugar do outro e entender suas dificuldades e potencialidades.

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

Porque descrição para cegos em imagens na internet

Descrição para cegos: imagem mostra as frases "O que você olha", "O que você vê" e "O que você enxerga" escritas várias vezes e em posições diversas (vertical, horizontal, inclinada, investida, de cabeça para baixo) submetidas a um processo de desfoque que prejudica a leitura.

Por William Veras*


Imagine você entrando em algum site ou portal na internet e não ter a oportunidade de saber que imagens estão presentes nas seções do site. Imagine ainda receber um e-mail de alguém contendo várias fotos para ilustrar algum produto, serviço, informações ou pessoas e você não conseguir entender nada... É isso que quem não enxerga vive constantemente, em todos os lugares.
Como não existe uma lei ou fiscalização ativa em ferramentas criadas para a internet, pessoas com deficiência visual acabam não usufruindo com total autonomia desses produtos da web. Por causa disso, muita gente vai em busca de alternativas, mas nenhuma delas funciona com eficácia.

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Você sabe o que é terapia ocupacional?

Descrição para cegos: No centro da imagem há uma bola azul com o nome terapia ocupacional. Ao redor, outras bolas cinzas apontam para o centro e tem os dizeres: inclusão, autoestima, participação social, atividades de vida diária, independência, reabilitação, habilitação, atividades significativas, brincar, ambiente, lazer, trabalho, autonomia, funcionalidade.

Por Jéssica Xavier


Uma nova área e profissão vem crescendo e tomando espaço no Brasil nos últimos anos. É a terapia ocupacional, que dentre suas funções ajuda pessoas com deficiência a alcançar melhor qualidade de vida.
Segundo a professora do Departamento de Terapia Ocupacional da UFPB Joana Rostirolla, trata-se de uma profissão que, no Brasil, atua nos campos da educação, cultura, saúde e social. Objetiva facilitar a autonomia, participação e inserção social, por meio do trabalho com pessoas, grupos ou comunidades, de forma a enriquecer suas possibilidades de engajamento em ocupações necessárias ou desejadas.

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

10 filmes sobre inclusão de pessoas com deficiência

Descrição para cegos: A imagem é uma cena do filme Colegas, nela estão três jovens com síndrome de down, uma mulher e dois homens. Um deles dirige um conversível, a menina está no banco carona e o outro no banco de trás. Todos estão fantasiados.   

Diante dos desafios na inclusão de pessoas com deficiência, os filmes são uma ótima maneira de abordar o assunto e discutir o respeito à diversidade. O Centro de Referência em Educação Integral listou 10 filmes que tratam a inclusão de pessoas com diferentes tipos de deficiência. Na lista, estão as obras brasileiras: Colegas (2002), Hoje Eu Quero Voltar Sozinho (2014), A Pessoa é Para o Que Nasce (2002) e Janela da Alma (2001). Confira a lista completa no site do Centro de Referência. (Jéssica Xavier)